Uma coisa aprendemos com a pandemia: os países que deixaram pra depois a compra de vacinas, ficaram no final da fila. Mas a Corrida das Corridas, em busca dos investidores e seus empregos, está começando agora.


Vai deixar para depois?

Ninguém mais poderá dizer que uma cidade não faz nada para sair da crise do coronavirus, ou que não trabalha pela qualidade de vida das pessoas, quando de fato estiverem realizando algo.

A Rede Melhor Cidade (melhorcidade.com), vai conectar moradores, estudantes, acadêmicos, trabalhadores, empreendedores, investidores, turistas, voluntários, jornalistas, legisladores e governantes, para mostrar as ideias de sucesso que mereçam ser compartilhadas para inspirar outras cidades. Tudo que melhore a vida das pessoas, em todos os significados do termo melhor cidade, têm lugar garantido na plataforma que não tem vinculação política ou partidária.

As notícias mais esperadas são as vagas de emprego, os cursos de capacitação, crédito para pequenos negócios, além das ações para melhorar as condições de trabalho e renda, amenizar a fome, atrair investimentos, promover segurança, educação, mobilidade, saúde, cidadania, entre outros.

"O país que vive uma tragédia sanitária e econômica sem precedentes, com milhões de desaparecidos, desempregados e desalentados, precisava de um Canal de Oportunidades", afirma Edvaldo Silva, CEO da startup Melhor Cidade.

 

Com os novos serviços da StartUp Melhor Cidade, notadamente na área de investimentos sustentáveis, comunicação com o mercado é fator essencial.

Boa notícia: Primeira edição do Prêmio Melhor Cidade vai estimular iniciativas contra o impacto econômico do coronavirus em todos os municípios brasileiros.

O Prêmio Melhor Cidade* terá 10 categorias (Cidade Acolhedora, Cidade Criativa, Cidade Educadora, Cidade Eficiente, Cidade Empreendedora, Cidade Inovadora, Cidade Legal, Cidade Saudável, Cidade Solidária e Cidade Sustentável), e será entregue no final do ano às pequenas, médias e grandes cidades. As instituições também poderão participar nas diferentes categorias.

Todos os 5.570 municípios têm algum potencial para concorrer, segundo o comitê do prêmio. "Muitas ações desenvolvidas, algumas quase anônimas, poderiam inspirar outras cidades de mesmo porte ou maiores. Por isso merecem virar notícia e referência para outras pessoas e localidades", defendem.

Criada pela Rede Melhor Cidade, startup que conecta e multiplica ideias de sucesso para melhorar a vida das pessoas em suas cidades, a premiação nasce com o lema "Cidades são Pessoas!"

Nos próximos dias o regulamento será publicado na página premio.melhorcidade.com e mais informações estarão disponíveis pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Melhor Cidade® é Marca Registrada.

Uma coisa aprendemos com a pandemia: os países que deixaram pra depois a compra de vacinas, ficaram no final da fila. Mas a Corrida das Corridas, em busca dos investidores e seus empregos, está começando agora.


Vai deixar para depois?


Se quiser uma boa justificativa, o combate à pandemia é excelente. Todo mundo vai entender. Mas cuidar da recuperação da economia é a outra prioridade dos melhores gestores, sem esquecer da saúde.

Assim como na Olimpíada, cada atleta corre em sua modalidade. Mas o pódium só tem lugar para os campeões.

É aí que podemos ajudar. Porque ouvimos os "donos do dinheiro": "Invistam nas cidades que têm tudo para dar certo."

Somos a startup Melhor Cidade! A primeira aceleradora de desenvolvimento ESG, conectando investidores e oportunidades.

ESG é a sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança. O conceito é a nova exigência dos investidores.

Sabemos que as melhores cidades do mundo estão adotando os critérios ESG como garantia de investimentos com Sustentabilidade Ambiental, Igualdade Social e Responsabilidade de Gestão.

A União Europeia reconheceu que o Mercado de Investimentos Verdes é uma das áreas de crescimento mais rápido no setor de finanças. Saiu na frente e estabeleceu regras para acesso ao tesouro de 30 trilhões de dólares disponíveis no mundo para projetos e negócios verdes.

Então criamos o Programa ESG para Cidades Brasileiras, um conjunto de soluções adaptadas às nossas multiplas realidades e vocações regionais.

Tudo para que as pessoas de seu município sejam as grandes vencedoras dessa crise. Porque cidades são pessoas e tudo vai bem se a economia não vai mal.

Vamos Juntos nessa Corrida?

Converse com nossos Consultores para conhecer detalhes do Programa.

 

A crise pandêmica que impacta a economia dos municípios brasileiros vai passar, depois que a vacinação estiver finalizada. Mas por enquanto nem tudo são flores. Aliás, nem flores, nem moda, nem turismo, nem alimentação, nem saúde, como a maioria das atividades geradoras de emprego e renda.

Neste cenário de ansiedade por ações práticas e urgentes, a notícia de uma movimentação positiva em apoio ao empreendedorismo local completa os esforços de governos e instituições pela recuperação econômica, e acende uma luz no fim do tunel para milhões de famílias e seus micro e pequenos negócios.

A EXPO MELHOR CIDADE! Agitando a Economia Empreendedora, é uma iniciativa da startup Melhor Cidade para acelerar a retomada do desenvolvimento. A exposição permanente de produtos e serviços em plataforma digital abre novos mercados e cria oportunidades iguais para as atividades rurais, artesanais, industriais, comerciais e prestadores de serviços nos municípios de todos os portes.

A mudança dos gastos para o mundo digital é uma tendência global, mas é preciso fortalecer a participação dos pequenos neste processo, garantindo maior exposição na internet. Assim, os estandes virtuais serão gratuitos para os empreendedores das cidades parceiras. Por sua vez, os municípios garantem espaço para suas vocações e projetos de investimento. Negócios que respeitam a natureza, as pessoas e os cuidados com a pandemia, também terão destaque nos pavilhões da melhorcidade.com.br

 

ECONOMIA EMPREENDEDORA

A economia empreendedora é o estudo do empreendedor e do empreendedorismo na economia. Os empresários podem ser considerados um dos principais motores do crescimento econômico das nações.

Um empreendedor é descrito como um indivíduo que identifica e explora oportunidades, geralmente na forma de algum tipo de produto ou tecnologia. Essas oportunidades geralmente estimulam mudanças no mercado e aumentam a concorrência em seus campos de atuação. Portanto, os empreendedores desempenham um papel fundamental em qualquer economia. No entanto, só porque um empreendedor pode criar alguma forma de inovação, nem sempre significa que ele terá sucesso. Cada decisão tomada por um empresário determinará, em última instância, se ele terá ou não sucesso e permanecerá bem-sucedido no futuro previsível. Essas decisões incluem a qualidade de seu produto, os investimentos da empresa, as estratégias de marketing, a competição em seu campo e, por fim, a entrega do produto ao consumidor.

Os empreendedores criam empregos não apenas para si próprios, mas também para outras pessoas na sociedade, e são frequentemente considerados ativos nacionais

Os empreendedores são considerados esses ativos devido ao impacto que podem ter na economia geral das nações. Para começar, os empresários podem desenvolver um novo produto ou alguma forma de tecnologia para entrar no mercado, algo que prenda a atenção do consumidor. Além disso, esses novos produtos podem aumentar a concorrência e acelerar as mudanças em seu campo, de forma que as economias não permaneçam constantes.

 

(Economia Empreendedora continua em https://pt.qaz.wiki/wiki/Entrepreneurial_economics)

 

 

O Governador João Doria lançou nesta quarta-feira (31) a campanha “Vacina Contra a Fome”. Desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Social com participação da Secretaria da Comunicação, a ação convida cada pessoa apta a se vacinar contra a COVID-19 a doar um quilo de alimento não perecível nos municípios participantes.

O objetivo da campanha é beneficiar famílias carentes e com déficit nutricional durante o enfrentamento da pandemia do coronavírus.

“Esse programa incentiva as pessoas que vão se vacinar a doar um quilo de alimento não perecível, preferencialmente arroz, feijão, macarrão e também leite em pó”, afirmou o Governador. “A participação daqueles que estão sendo vacinados é absolutamente espontânea. Doa quem pode e quem quer, mas temos nessa doação um gesto de grandeza e solidariedade para quem mais precisa”, reforçou Doria.

Até o momento, 395 Prefeituras do interior, litoral e Grande São Paulo já aderiram à campanha, mas a meta do Governo do Estado é obter a adesão de todos os 645 municípios.

As Prefeituras podem aderir à campanha no site www.vacinacontraafome.sp.gov.br. Além do termo de adesão, a página oferece kits de divulgação para download e uso livre pelas administrações municipais para estimular a adesão popular às doações.

O Estado recomenda que os municípios participantes instalem pontos de arrecadação nos postos de vacinação contra a COVID-19, que já chegou a quase 6 milhões de doses aplicadas em São Paulo. A distribuição dos mantimentos será feita pelas próprias Prefeituras a famílias carentes de cada cidade.

“Em um momento tão crítico da pandemia, queremos incentivar a sociedade a contribuir com nossas ações de combate à fome, garantindo a segurança alimentar das muitas famílias em situação de vulnerabilidade”, afirmou Célia Parnes, Secretária de Estado de Desenvolvimento Social.

Com a divulgação da campanha nos municípios e a instalação dos espaços de arrecadação nos postos de vacinação, as doações podem começar a partir do dia 5 de abril. Confira abaixo o vídeo da campanha “Vacina Contra a Fome”.

O Instituto Butantan desenvolveu uma vacina contra a covid-19, a ButanVac. Essa é a 1ª vacina brasileira contra a covid-19. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciaram a produção nesta 6ª feira (26.mar.2021).

A ButanVac foi produzida inteiramente por cientistas do instituto. As etapas em laboratório já foram concluídas e agora será pedida à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a autorização para testes em humanos. O pedido deve ser realizado hoje para o início das fases 1 e 2.

Os resultados dos testes pré-clínicos se mostraram extremamente promissores, o que nos permite evoluir para os testes em voluntários já agora, no próximo mês de abril, desde que a Anvisa autorize”, disse Doria. E completou: “Essa é uma dose de esperança para o Brasil“.

 

A vacina também será protocolada ainda na tarde desta 6ª feira na OMS (Organização Mundial da Saúde). Assim, a organização poderá acompanhar a produção, de acordo com as normas internacionais.

Não foi especificado o que seria os “resultados excelentes” mencionados por Doria e Covas. O instituto afirmou que realizou os primeiros testes em animais com a ajuda de laboratórios indianos. Mas, por ainda não ter sido testada em humanos, o número de doses necessárias para a imunização é desconhecido.

A ButanVac começou a ser pesquisada em março de 2020. O Ministério da Saúde não patrocinou os estudos, que foram realizados com recursos do próprio Butantan e pelo governo do Estado de São Paulo. Mas o Estado não vai comprar lotes de forma individual, a vacina será oferecida ao governo federal antes de contratos individuais e da importação para outros países.

Segundo Covas, a vacina 100% brasileira será produzida integralmente contra a covid-19. Para que os testes possam começar em abril, o presidente do instituto afirmou que irá “dialogar intensamente” com a Anvisa e espera que a agência veja a necessidade de rapidez para a aprovação dos testes clínicos em humanos. 

A expectativa é encerrar todos os testes e ter 40 milhões de doses da ButanVac até o final de 2021. Covas afirmou que o estudo pode ser encurtado com base nas experiências do Butantan com a CoronaVac.

A tecnologia utilizada é similar à utilizada na vacina da gripe e da febre amarela, ou seja, produzida em ovos. Essa é a 1ª vacina contra a covid com ovo. “Essa é uma das formas mais seguras de se produzir uma vacina. Milhões de pessoas tomam a vacina contra a gripe todos os anos e a nossa tem a mesma tecnologia“, disse Covas.

Além disso, todos os insumos para a produção já existem no Brasil. O Butantan é o maior produtor do hemisfério sul da vacina da gripe, que usa a mesma tecnologia da ButanVac. Por causa disso, o instituto tem a capacidade de produzir até 100 milhões de doses da vacina por ano.

Covas afirmou também que o Instituto Butantan fez um compromisso com países de renda baixa e média para vender a ButanVac. No consórcio, o Vietnam e a Tailândia também vão produzir a vacina e realizar testes clínicos. “O  mundo rico combate porque tem recursos, ele vai ficar relativamente livre do vírus. Mas os países pobres podem continuar na pandemia e temos que combater os vírus exatamente nesses países“.

O Butantan estuda ainda o desenvolvimento de outras 2 vacinas contra a covid. Além disso, os estudos com o soro anticovid, autorizados na 5ª feira (25.mar) pela Anvisa, também continuam no instituto.

 

Fonte: GABRIELLA SOARES (Poder 360)

Que novidade é essa de colocar felicidade numa loja? Não dizem que felicidade não se compra? Mas se fosse possível comprar felicidade, onde ficaria esse lugar? E quem não pudesse pagar? Mercado tem. Afinal, quantas pessoas estão à procura da felicidade neste momento?

O Brasil caiu, durante a pandemia do coronavírus, 9 posições no ranking global da felicidade , de acordo com o Relatório Mundial da Felicidade, elaborado pela empresa de pesquisas Gallup em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU). No ranking, divulgado nesta sexta-feira (19), o país ocupa a 41ª posição entre 149 nações.

No ano passado, o país ocupava a 32ª posição, a mesma registrada no relatório do ano anterior. A "nota" atribuída ao Brasil – baseada em dados de 2020 – é de 6,110. Essa é a menor média para o país desde 2005, quando o instituto de pesquisas começou sua avaliação.

Ranking da Felicidade - Primeiros Colocados

Colocação País Pontuação
Finlândia 7,889
Islândia 7,575
Dinamarca 7,515
Suíça 7,508
Holanda 7,504
Suécia 7,314
Alemanha 7,312
Noruega 7,290
Nova Zelândia 7,257
10ª Áustria 7,213
11ª Israel 7,195
12ª Austrália 7,137
13ª Irlanda 7,035
14ª Estados Unidos 7,028
15ª Canadá 7,025
16ª Rep. Tcheca 6,897
17ª Bélgica 6,839
18ª Reino Unido 6,798
19ª Taiwan (China) 6,751
20ª França 6,714

O Uruguai é o país mais feliz da América Latina, segundo o levantamento – está em 30º lugar. Mais próximos aos Brasil estão o Chile (38º), a Polônia (39º), Japão (40º), Sérvia (42º), Hungria (43º), Ilhas Maurício (44º), Mongólia (45º), México (46º) e Argentina (47º).

Para medir o nível de felicidade, o relatório leva em consideração uma "variedade de medidas de bem-estar subjetivas", além de variáveis que medem condições econômicas e sociais.

Os seguintes pontos são considerados: PIB per capita, apoio social, vida saudável, expectativa de vida, liberdade, generosidade e ausência de corrupção.

O trabalho deste ano usou a comparação com 2020 para poder observar o impacto específico da pandemia. A conclusão geral apontada pelo relatório é de que a infelicidade aumentou em todo o mundo, impulsionado pela crise do coronavírus.

"O pior efeito da pandemia foram os 2 milhões de mortes por Covid-19 em 2020", escreve o relatório. "Um aumento de quase 4% no número anual de mortes em todo o mundo, o que representa uma grave perda de bem-estar social."

Gestão da crise

Os pesquisadores destacaram os esforços de países que lidaram melhor com a pandemia – e seus esforços foram recompensados no ranking.

A China, por exemplo, saltou do 94º lugar pada o 19º, isso por conta da forma com que conseguiu segurar o avanço da doença.

Houve taxas de sucesso semelhantes na Austrália, que ficou em 12º lugar, e na Nova Zelândia, em novo.

“As evidências mostram que o moral das pessoas melhora quando o governo age”, escreveram os editores do relatório.

 

 

Fonte: G1 Globo

 

Boa notícia: Primeira edição do Prêmio Melhor Cidade vai estimular iniciativas contra o impacto econômico do coronavirus em todos os municípios brasileiros.

O Prêmio Melhor Cidade* terá 10 categorias (Cidade Acolhedora, Cidade Criativa, Cidade Educadora, Cidade Eficiente, Cidade Empreendedora, Cidade Inovadora, Cidade Legal, Cidade Saudável, Cidade Solidária e Cidade Sustentável), e será entregue no final do ano às pequenas, médias e grandes cidades. As instituições também poderão participar nas diferentes categorias.

Todos os 5.570 municípios têm algum potencial para concorrer, segundo o comitê do prêmio. "Muitas ações desenvolvidas, algumas quase anônimas, poderiam inspirar outras cidades de mesmo porte ou maiores. Por isso merecem virar notícia e referência para outras pessoas e localidades", defendem.

Criada pela Rede Melhor Cidade, startup que conecta e multiplica ideias de sucesso para melhorar a vida das pessoas em suas cidades, a premiação nasce com o lema "Cidades são Pessoas!"

Nos próximos dias o regulamento será publicado na página premio.melhorcidade.com e mais informações estarão disponíveis pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Melhor Cidade® é Marca Registrada.

© 2021 Melhor Cidade é Marca Registrada | All Rights Reserved.