Economia: Fora da Vacina não tem Salvação!

Uma campanha de vacinação contra a Covid-19 poderá evitar perdas de trilhões de dólares para a economia global. No Brasil, minimizaria as perdas para R$ 33 bilhões, ante ao revés de R$ 489 bilhões em um cenário global sem o imunizante.

Além disso, uma campanha de vacinação bem-sucedida proveria um “novo fôlego” na recuperação de países em desenvolvimento. As constatações fazem parte de documentos internos usados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na última semana, o conselho consultivo do órgão reuniu-se para aprovar as vacinas da Pfizer. No entanto, o encontro também serviu como palco para o debate do impacto que a vacinação terá na economia global.

No caso americano, a vacina contra a Covid-19 poderá economizar cerca de US$ 738 bilhões aos cofres públicos. O imunizante também evitará um rombo de pelo menos US$ 527 bilhões por perda de produtividade do trabalhador.


Impacto mundial
Com base nos dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), a entidade indicou que o crescimento econômico para 2021 poderá ser de 5,1% no mundo, em um cenário com a vacina. Caso contrário, a taxa de recuperação não passará de 2,1%.

Na prática, a vacina poderá evitar uma perda de US$ 3,4 trilhões para a economia global. O valor é quase equivalente ao dobro do PIB brasileiro — que atingiu US$ 1,8 trilhão em 2019.

Os países emergentes também sofreriam com um adiamento de uma imunização em massa, contabilizando um rombo de US$ 300 bilhões em 2021.


Vacina para todos
A ideia de a vacina ser a única alternativa para frear o número de óbitos no mundo e para recuperar a economia global parece ser unânime — com algumas exceções, é claro. Mas isso só funcionará se a imunização ocorrer em todas as regiões do planeta.


Vacinação global
A economia global é interconectada, fazendo com que riscos de contaminações, lockdowns e interrupções de viagens decorrentes de países sem vacina interfiram na administração da economia na totalidade.

Se os países mais pobres não forem imunizados contra a Covid-19, a economia global continuará a sofrer perdas de US$ 153 bilhões por ano. As economias emergentes também terão prejuízos anuais, que podem alcançar a marca dos US$ 120 trilhões.



BRASIL

Paulo Guedes defende vacinação em massa

O ministro da Economia defendeu a vacinação em massa da população contra a Covid-19 como necessária para a recuperação da atividade econômica neste ano.

"A volta segura ao trabalho é importante, e a vacinação em massa é decisiva. A vacinação em massa é um fator crítico de sucesso para o bom desempenho da economia logo à frente" disse Guedes, em entrevista à imprensa sobre o resultado da arrecadação de impostos de 2020 nesta segunda-feira (25/02).

Até agora, o governo iniciou a distribuição de 2 milhões de doses produzidas pelo laboratório Astrazeneca em parceria com a universidade de Oxford importadas da Índia. Essa vacina também será produzida pela Fiocruz no Brasil.

Também estão sendo aplicadas pouco mais de 10 milhões de doses produzidas pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

"Estamos começando a vacinação em massa, que vai garantir o retorno seguro ao trabalho. A economia e a saúde andam juntas. O Brasil está tentando comprar todas as vacinas. Estamos tentando adquirir todas as vacinas", disse Guedes, parabenizando a Fiocruz, o Butantan, a Anvisa, as Forças Armadas e os profissionais de saúde.

"Limpar a pauta logo na volta no Congresso , destravar o horizonte de investimentos, transformar esse empurrão na economia à base do consumo numa retomada sustentável de crescimento pela reformulação dos marcos regulatórios é crítico. A nossa agenda é clara. Nós temos que acelerar as privatizações , reduzir as alíquotas de impostos", disse Guedes.

 

Fontes: iG e Uol

(O título é nosso)

 

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 22 Abril 2021 07:49
© 2020 Melhor Cidade é Marca Registrada | All Rights Reserved.